- Claro que não, sensei - Suzaku contraiu o cenho, estranhando a sugestão - Jamais beberia antes dos 18. Mas mesmo assim, seria ótimo você parar, né - o garoto prosseguiu, lançando um olhar de desaprovação - Ser um ciborgue significa ter máquinas substituindo partes de seu corpo. Como o desabamento da caverna acabou danificando um pedaço do meu cérebro além da possibilidade de reparo, substituíram por uma máquina que fizesse o mesmo serviço. Ou até melhor... - o garoto prosseguiu, gesticulando e apontando pro local onde a parte cibernética devia estar.

Suzaku estava animado por encontrar Kimmy depois de tanto tempo. Ambos claramente tinham muitas novidades para contar. Como já havia contado as suas, ela pareceu escolher uma forma não muito ortodoxa. Simplesmente invocou algo no meio da cidade. Obviamente, os olhos de Suzaku brilharam

- Achei o máximo! - Suzaku disse, adorando a ideia de uma armadura para a invocação e invocadora - Acho que dá pra elaborar algo interessante para ele e, como sua armadura só precisaria aterrar você contra eventuais raitons, como uma gaiola de faraday, acho que dá pra fazer com os materiais que sobrar da armadura de Stormmy… Seria só questão de coletar mais daquele material - finalizaria, pensativo.

Usando suas capacidades ciborgues, também calcularia quais os materiais necessários para ambas as armaduras. Julgava que o metal para a Slime, para a armadura do urso e a armadura de Kimmy muito provavelmente acabariam sendo o mesmo. Aliás, estimava que talvez o resultado final seria que a armadura de Kimmy exigiria os mesmos ingredientes que a do urso, salvo por um ou outro material responsável pelo carregamento e aprimoramento físico via Raiton. De qualquer forma, teriam muitas mãos disponíveis para coletar coisas no Abismo.

@Ben Ikneg @Thousand Mirrors