Fórum NS Animes - Layout versão beta
Destaques do Mês [Dezembro/2018]
User do Mês: @Heimdall
Staff do Mês: @Kyuko
Tópico do Mês: Níveis de Poder 2019
Os membros mais ativos do mês
558 Mensagens - 18%
510 Mensagens - 16%
352 Mensagens - 11%
337 Mensagens - 11%
315 Mensagens - 10%
289 Mensagens - 9%
233 Mensagens - 7%
196 Mensagens - 6%
187 Mensagens - 6%
180 Mensagens - 6%
Os membros mais ativos da semana
122 Mensagens - 25%
90 Mensagens - 18%
87 Mensagens - 18%
55 Mensagens - 11%
31 Mensagens - 6%
29 Mensagens - 6%
25 Mensagens - 5%
22 Mensagens - 4%
18 Mensagens - 4%
17 Mensagens - 3%
Parceiros


Compartilhe
Ir em baixo
avatar
Senpai Popular
Senpai Popular
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 10/01/2017
Número de Mensagens : 1744
Sexo : Masculino
Idade : 100
Reputação : 62

Pontos :
95 / 10095 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sex 04 Jan 2019, 19:38
@Garcia escreveu:Nazismo começou na extrema direita e terminou como uma 3ª via, bem diferente do que atualmente se propaga, essa polarização tola. Não é a toa que foi um movimento diferente de tudo o que  já se viu na história.

Concordo com tudo oque você disse, Garcia, menos a parte em que diz que "foi um movimento diferente de tudo o que  já se viu na história."

Países de tendências fascistas que coexistiram com a Alemanha Nazi tiveram sistema sócio-políticos bem parecidos, como por exemplo seus aliados Itália Fascista e Japão Imperial; ou até mesmo países de regimes fascistas neutros que não se aliaram militarmente, tal como a Espanha Franquista/Falangista.

Enfim, dizer que nazi/fascismo é de esquerda é uma espécie de terraplanismo político mesmo. Só retardados acreditam nisso.

É uma piada, esses conservadores de Internet que vêm dizer que 'Direita' só é definida por liberdade social-econômica. A Alemanha, pra se ter ideia, era uma potência capitalista a nível mundial desde o ano de 1871 - data da Unificação Prussiana - que foi quando começaram a se industrializar. Chegaram a ter uma produção industrial que botava medo na Grã Bretanha, e eram sedentos por ter um grande Império Colonial mundo afora.

E desde 1871 até o ano de 1918 - data do fim da 1ª Guerra Mundial e abdicação do Kaiser Wilhelm II - era uma monarquia absolutista, Estado onipotente.



AD ASTRA - SCIPIO TO HANIBAL (アド・アストラ -スキピオとハンニバル-):


HISTORIE (ヒストリエ) -- HITOSHI IWAAKI:

avatar
Senpai Popular
Senpai Popular
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 05/02/2018
Número de Mensagens : 1823
Sexo : Feminino
Idade : 99
Reputação : 74

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuáriohttp://www.berserkproject.com

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sex 04 Jan 2019, 23:10
@Dante1 escreveu:@Lipert Eumenes é um coitado.

Um libertário a favor das drogas escreve sobre assunto totalmente diferente;

Aí vem um bostinha de internet e fala "hur, eles defendem drogas e você não kkkk olha como eu estou certo nesse assunto".

E ainda reclamar de falácias, mas comete Ad hominem e apelo a autoridade.

Reclama também que ele postou links ao invés de "argumentar com a própria boca", mas pediu fontes e postou o link de vídeo de YouTube no último post.

Vemos que a pessoa é tão cega pela própria ideologia que começa perder o controle das próprias emoções ao inves de ter honestidade mínima que se vê necessária na busca pela verdade.

Cirominion de bosta.

@Dante10 sendo @Dante10.

Essa sua postagem é totalmente passível de punição, pois foi um comentário desrespeitoso e ofensivo.

Você deveria aprender a respeitar a opinião alheia mesmo não concordando com ela, pois isso é o simples e o óbvio a se fazer entre pessoas civilizadas. Pelo visto, jovem, a civilização passa longe de vc.

@Garcia, @Kyuko



a jornada até aqui:
nakama:
para sempre:
sannins 1:
os três ninjas lendários:
kuchiyose no jutsu:
sannins 2:
o andarilho, a princesa e o rebelde:
o sapo, a cobra e a lesma:
os três de konoha:
sinistro:
avatar
Sensei
Sensei
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 22/02/2010
Número de Mensagens : 4048
Sexo : Masculino
Idade : 21
Reputação : 74

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 00:16
Chapéu, todos se xingam mutuamente nestes tópicos. Acho que dificilmente o Eumenes se importou.

Outro texto legal (sobre “””conservadores não fazem revoluções”””)

Spoiler:


Movimento Revolucionário Conservador


O Movimento Revolucionário Conservador (Konservative Revolution em alemão) foi um movimento do conservadorismo nacionalista alemão nos anos que se seguiram à Primeira Guerra Mundial. A escola de pensamento revolucionário conservador advogou por um conservadorismo e nacionalismo "novo", que fosse especificamente alemão, ou, mais especificamente, prussiano. Igual a outros movimentos conservadores no mesmo período, tratavam de pôr fim à crescente maré do comunismo ou da democracia, propondo sua versão de "socialismo conservador" baseado no "cristianismo aplicado" ou "socialismo de estado" bismarckiano (ver Estado social).

Os revolucionários conservadores basearam suas ideias sobre uma concepção orgânica da sociedade, no lugar da materialista, na qualidade e não na quantidade, sobre o “Volksgemeinschaft” ("comunidade popular”- ver Völkisch) no lugar da luta de classes e da oclocracia. Os ideólogos da escola produziram uma profusão de literatura nacionalista radical que consistiu em diários e obras de ficção de guerra, jornalismo político, manifestos e tratados filosóficos esboçando suas ideias para a transformação da vida cultural e política alemã. Influenciados pelas visões de Oswald Spengler, sentiam-se indignados com o liberalismo; o igualitarismo e a cultura comercial da civilização industrial, urbana, advogando consequentemente pela destruição da democracia e da ordem liberal, pela força se fosse necessário, razão pela qual alguns membros desta escola apoiavam a criação de um Terceiro Reich Alemão - termo que foi, junto a outros da escola, posteriormente utilizado por Hitler, ver Terceiro Reich. O movimento teve grande influência entre muitos dos jovens mais talentosos da Alemanha, setores acadêmicos, da aristocracia e altos setores da classe média (basicamente a classe dos Junkers).

Os revolucionários conservadores, muitos deles nascidos na última década do século XIX, foram basicamente formados por suas experiências da Primeira Guerra Mundial. A guerra e a Revolução alemã de 1918-1919 eram pra eles uma ruptura com o passado, que os deixou muito desiludidos. Primeiramente, a experiência dos horrores da guerra de trincheiras, a suciedad, a fome, a obliteração e o reemplazo do heroísmo com o esforço para se manter com vida em um campo de batalha de mortes pelo azar. Tiveram também - depois da guerra - que se deparar com o desemprego, sentimento de derrota, acusações de atrocidades durante a mesma guerra e a Dolchstoßlegende ("lenda da punhalada pelas costas", de acordo com o qual haviam sido traídos por seus compatriotas). Chegam assim a sentir que não havia sentido nessa guerra, ou mesmo na vida, que eles eram "como uma marionete que têm que dançar para o entretenimento dos espíritos demoníacos do mal". Atraídos por ideias niilistas buscam recriar a "camaradagem de soldados de primeira linha", dando assim um sentido a suas experiências.

O termo "Revolução Conservadora" é anterior à Primeira Guerra mundial, mas a influência de escritores tais como Ernst Von Salomon e Ernst Jünger e os teóricos políticos Carl Schmitt e Edgar Julius Jung foram instrumentais em sua transformação pra um movimento político reconhecido durante a República de Weimar, expressando-se através de figuras do estabelecimento político legal tais como Ernst Forsthoff, Kurt von Schleicher e Franz von Papen.

No âmbito político administrativo, Ernst Forsthoff postula - a partir do começo da República de Weimar - dizia que a solução dos problemas alemães está em uma nova forma de organizar o Estado, no qual os indivíduos esteham subordinados ao "Estado absoluto" ou ao “Volk”, sob a direção de um "Líder" ou Führer.1

Julius Jung - a quem se inspirou no fascismo - promoveu uma versão da nação como uma entidade ecológica singular; atacando o individualismo enquanto promovia o militarismo e a guerra, propondo a "mobilização total" dos recursos humanos e industriais a fim de fomentar a capacidade produtiva da "modernidade" - conceito similar ao "futurismo" o fascismo italiano. Para Julius Jung, o objetivo dos conservadores revolucionários deve ser uma ditadura, com a intenção de "despolitizar as massas e exclui-las da direção do Estado".

Schmitt, por sua parte, chegou a ser percebido como o principal ideólogo político do conservadorismo radical, extremado ou reacionário atual, percepção baseada em uma crítica profunda da democracia, do liberalismo e de concepções igualitárias, critica que é ignorada sob o risco de permitir seu reflorescimento. Schmitt se apresenta como defensor de visões cristãs do corpo político, promovendo uma visão da função do Estado como sendo a identificação e luta contra ou pela repressão do "inimigo", seja externo ou, especialmente, o interno (e afirmando que no caso concreto da Alemanha, o inimigo interno e externo é o judeu). Schmitt e seus admiradores afirmam que ele se manteve alejado do nacional-socialismo. Mas cabe notar que foi membro do Partido Nacional-Socialista a partir de 1932, que em 1934 justificou os assassinatos da noite dos longos punhais como a "forma mais alta do direito administrativo" e que sua crítica ao nacional-socialismo não foi tanto por seu caráter antidemocrático ou imoral, senão de que este era por demais vulgar.

Depois de 1933 alguns dos proponentes do movimento revolucionário conservador foram vigiados, reprimidos e enviados para campos de concentração pelos nacional-socialistas, principalmente pela SS de Himmler, um caso representativo é o de Ernst von Salomon, perseguido por ter uma esposa de origem judia. Alguns conservadores revolucionários apoiaram a ditadura, haviam promovido e estavam contentes com a supressão da democracia, contudo criticavam e se opunham a aspectos mais "progressistas" do nacional-socialismo, outros simplesmente nunca apoiaram o regime nacional-socialista nem seus meios, por exemplo Ernst Niekisch ou Von Salomon. Assim, por exemplo, Julius Jung - a quem escrevia os discursos de von Papen - denunciava o "liberalismo e democratismo" dos nacional-socialistas, e organizou uma conspiração a fim de derrocar o regime de Hitler, pelo qual foi assassinado - junto com von Schleicher - na noite dos longos punhais.

Outros membros e personagens próximos ao movimento revolucionário conservador se hundieron no anonimato, alguns - tais como Schmitt e Konstantin von Neurath - ingressaram no Partido Nacional-Socialista ou - como von Papen e Forsthoff - foram perseguidos por Hitler, outros como Niekisch foram enviados para campos de concentração. Alguns outros - como Junger - permaneceram ou se reintegraram ao Reichswehr e mais tarde à Wehrmacht, onde, posteriormente, conspiraram nos níveis inferiores do fracassado atentado de 20 de julho de 1944, para assassinar Hitler por meio de uma bomba.

Posteriormente, o movimento foi muito criticado por ter sido fundamental para a criação de uma cultura política ou zeitgeist que contribuiu para a difusão das ideias que facilitaram o aparecimento e aceitação das ideias políticas do nacional-socialismo. Contudo, alguns de seus membros e as percepções continuaram tendo influência, não só na Alemanha do pós-guerra,como nos desenvolvimentos políticos inclusive na atualidade em outros países.

Bibliografia:

1. Travers, Martin (2001). Critics of Modernity: The Literature of the Conservative Revolution in Germany, 1890-1933. Peter Lang Publishing. ISBN 0-8204-4927-X.
2. Herf, Jeffrey (2002). Reactionary Modernism: Technology, Culture, and Politics in Weimar and the Third Reich (reprint edition ed.). Cambridge University Press. ISBN 0-521-33833-6.
3. Stern, Fritz (1974). The Politics of Cultural Despair: A Study in the Rise of the Germanic Ideology (New Ed edition ed.). University of California Press. ISBN 0-520-02626-8.
4. Woods, Roger (1996). The Conservative Revolution in the Weimar Republic. St. Martin’s Press. p. 29. ISBN 0-333-65014-X.


Comentários do autor do blog que vocês podem escolher considerarem ou não, já que ele não é referência.

Spoiler:
Comentário: no Brasil, acho que quem acompanha política ou esses assuntos (segunda guerra etc) já viu alguma pregação com negação de que conservadores não fazem revolução ou afirmações bizarras sobre "nazismo de esquerda", sem base histórica alguma, com discussões no mínimo pueris (infantis), pra não chamar de discussão idiota.

Os grupos que pregam e defendem essas posições também podem ser rotulados como de extrema-direita, em geral são conhecidos como "libertários" ou radicais de direita liberal, no Brasil costumam ser chamados mais popularmente de "neoliberais", um outro tipo de extrema-direita (a princípio não-fascista), mas que acaba servindo aos propósitos de grupos fascistas em virtude da forte paranoia "anticomunista" (ou do que eles entendem por isso), comportamento autoritário (intolerante com divergências), "absolutista" (só a forma como virem o mundo é correta e sempre impositiva), além de fazerem um forte macartismo e outros radicalismos do tipo, como negação da história, distorções etc.

Quando a gente mostra o porquê da classificação e de certas afirmações desses grupos não terem fundamentos, as respostas quase sempre são agressões, geralmente porque as pessoas que defendem essas bobagens (e se enquadram nestes grupos radicais) o fazem sem senso crítico algum, ou também por estarem fazendo panfletagem política, ou por possuírem um conhecimento precário sobre segunda guerra (e fé cega em textos enviesados). E costumam ficar por aí, na leitura rasa mesmo ou enviesada, não vão muito além disso (não leem outras coisas). Ou se apresentam como as três coisas juntas, daí a fúria quando são "contrariados".

A quem quiser dar uma conferida, chequem os links: Políticas da extrema-direita (economia); The Revival of Right Wing Extremism in the Nineties (sobre o grupo rotulado como "Libertários" de direita, um grupo neoliberal radical que atua fortemente na web, e bastante no espaço brasileiro). Destaque pra figura do libertário (neoliberal radical) Hans-Hermann Hoppe (link2), que anda sempre acompanhado de neonazis (como já apontado no link anterior). São esses grupos que atacam a origem do nazismo (distorcendo) negando que seja uma ideologia de direita (um dos fascismos) pra fazer panfletagem política e demonização de quem se opõem ideologicamente a esse tipo de grupo radical.

Eu sempre digo que se você quiser ver grupos fascistas/nazistas ascenderem politicamente em um país, basta deixar este radicalismo liberal atuar com toda força (Laissez-faire). Isso abrirá fatalmente caminho pros fascistas/nazistas com os efeitos colaterais que as medidas ultraliberais desses grupos provocam na economia. É só olhar pra situação política da Europa atualmente. É fruto disso.

O Brasil já sofreu com esse problema nos anos 90, década que o país atravessou uma crise profunda econômica. A própria ascensão do nazifascismo na Europa no século passado é decorrente deste tipo de política radical liberal e inconsequente desses grupos.

Queria deixar isso registrado pois já me deparei com gente defendendo esse tipo de bobagem no Orkut e até aqui mesmo no blog, mas o que mais me irrita nessas pessoas é o alto grau de desonestidade intelectual debatendo esses assuntos sobre segunda guerra, pois não conseguem deixar o tom de pregação de lado e analisar de forma correta fatos do passado pra tentar compreender o presente. Eu costumo chamá-los de PSTU de direita, pelo radicalismo e total alienação dos efeitos do que eles defendem provocam. Se uma pessoa já parte do princípio que está numa missão de "evangelizar" (doutrinar a ferro e fogo, que eu costumo chamar de "catequizar", pejorativamente), já fica por terra qualquer discussão.

Mas voltando ao assunto, não deu por exemplo pra fazer um post sobre o René Rémond, historiador francês, que teoriza sobre as três direitas na França (que serve como parâmetro pra países com o mesmo tipo de divisão política europeia), que aborda toda essa questão do fascismo e da direita. Deem uma lida neste link sobre ele, pra ter uma ideia de quem é. E neste outro La thèse des trois droites (A tese das três direitas) do que citei sobre ele. E antes que venha algum maluco mais exaltado encher o saco ("o cara era de esquerda" bla bla bla "por isso que fez essa classificação"), o René Rémond (já falecido) era de direita e conservador. Só que não era lunático e desonesto como certa direita brasileira é (ou setores, aí vai do entendimento de cada um) e que fica distorcendo história pra fazer panfletagem política.

Não seria importante citar estes fatos se eu discutisse (geralmente) com gente moderada, normal, não-fanática, não-paranoica e intelectualmente honesta, mas quem costuma se exaltar com esses esclarecimentos sobre a direita não costuma se enquadrar neste perfil "moderado". E não estou me referindo propriamente aos "revis", o problema é mais amplo (vai além deles). Há muita gente conservadora no Brasil que não é "revi" que tem uma dificuldade ou sectarismo fora do comum pra discutir qualquer assunto político e histórico sem apelar pra essa retórica panfletária ou esse tom de "pregação". Só pra constar, o Joachim Fest, historiador alemão, também era de direita e conservador e tratava esses assuntos da forma como estou citando. E vários outros.

Essas pregações que citei no começo são algo tão raso que chega a ser irritante comentar o assunto, mas a maioria das discussões que travei aqui havia um componente do que citei acima. Esse pessoal só lê bobagem na internet (e pior que ler é sair repetindo como papagaio sem querer ler algo mais sério), principalmente sobre segunda guerra e nazismo. Há muito material panfletário espalhado na web, incluindo obviamente aqueles com negação do Holocausto.

Não seria necessário esclarecer ou comentar essas coisas se o povo lesse mais livros sérios de História sobre segunda guerra, só que a maioria não lê, mas adora encher o saco e se irrita quando é contestado (não sabem discutir). Mas também cabe uma crítica ao pessoal do campo democrático e o de esquerda  nessa questão, pois se fizessem um contraponto sério a esse tipo de pregação, sem apelar praquelas provocações baratas ou discussão infantil que pipocavam principalmente no Orkut, anulariam ou atenuariam esse tipo de pregação idiota. Mas a maioria não o faz, e depois reclamam do crescimento do extremismo no país. Por falar em Orkut (uma rede social do Google), foi de lá que saiu (e/ou se proliferou) esse amontoado de porcaria negacionista de todo tipo e demais bizarrices políticas.

Noutro post veio gente discutir ou negar essas questões como se a direita (o que se entende por esse campo político) nunca tivesse defendido ditaduras, feito ditaduras, regimes autoritários, estatais etc, ignorando o fato de que o que se entende por direita ou esquerda não é um bloco sólido e sim espaços onde se concentram forças políticas de várias tendências (ideologias).

Essa informação parece banal? E é, pra gente com um mínimo de entendimento político e seriedade, mas quando fui comentar esses pontos a resposta, pra variar, foi a pior possível, isso quando não distorcem e partem pro xingamento.

Existe a direita democrática mas também existe a direita autoritária representada em geral por grupos fascistas e outros grupos autoritários profundamente reacionários e contrários, não só ao que entendem como esquerda, como também à democracia e ao liberalismo (este último uma doutrina política mais facilmente associável aos Estados Unidos e Inglaterra). Num país (o Brasil) que passou por duas ditaduras de direita (no século XX) com duração total de 36 anos (somando as duas), com uma cultura democrática frágil, há que se ter cuidado redobrado com o problema.

Só pra constar, a Revolução Iraniana de 1979 é uma revolução conservadora, de direita. O que torna essa questão bizarra quando alguns grupos de esquerda (por falta de leitura e informação) no Brasil exaltam esse tipo de regime sem levar em conta a natureza política do mesmo pois houve 'expurgos' na revolução iraniana de grupos de esquerda. A quem quiser checar deixo até alguns links pra facilitar (não vou me aprofundar no assunto, isto é só uma informação pra mostrar o grau de desconhecimento do brasileiro em geral, mesmo os ditos politizados, sobre essas questões):
Opposition groups and organizations
Tudeh Party of Iran Link2
Islamism and the left in the Iranian revolution
Iran: The Rise and Fall of the Tudeh Party

Pode haver aproximação de governos politicamente contraditórios por algum interesse externo em comum, é o que ocorre com algumas alianças do Irã, mas não confundir essas alianças externas com maquear o reacionarismo religioso do regime iraniano, que tanto a direita e esquerda brasileiras adoram deixar de lado. O termo exaltar que empreguei é diferente de, por exemplo, ser contrário a ataques militares (eu sou contra) a esse país por outras "razões", geralmente difundidas (defendidas) na mídia. Indo direto ao assunto, refiro-me ao atrito Israel-Irã no Oriente Médio.

Por encerrar o comentário, cheguei a esse assunto do Movimento Revolucionário Conservador alemão procurando questões referentes a tal Terceira Posição (que eu chamo de "fascismo por outro nome"), Nazbol e o Dugin que ainda serão citados aqui, embora lembre vagamente do assunto relativo a esse movimento conservador alemão. São questões pouco abordadas, o período político na Alemanha que vai de 1917 até a ascensão do nazismo (quando Hitler sobe ao poder), principalmente a turbulenta e cambaleante República de Weimar.



http://holocausto-doc.blogspot.com/2014/05/o-movimento-revolucionario-conservador-alemao-precursor-do-nazismo.html




Prêmios:
avatar
Senpai Popular
Senpai Popular
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 05/02/2018
Número de Mensagens : 1823
Sexo : Feminino
Idade : 99
Reputação : 74

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuáriohttp://www.berserkproject.com

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 00:56
O mais engraçado nisso tudo é que este tipo de discussão só existe na internet :diga:

Umberto Eco definiu perfeitamente isso:



E não adianta trazer o parecer de um sociólogo ou de um cientista político especialista no assunto, pois serão completamente ignorados e hostilizados pelos "intelectuais de internet".

É igual aquela discussão sobre a Terra ser plana ou o Sol girar em redor da Terra. Só existe na internet :aliens:

A capacidade cognitiva desse pessoal é baixíssima, tanto que Olavo de Carvalho se aproveita disso para aliená-los.



a jornada até aqui:
nakama:
para sempre:
sannins 1:
os três ninjas lendários:
kuchiyose no jutsu:
sannins 2:
o andarilho, a princesa e o rebelde:
o sapo, a cobra e a lesma:
os três de konoha:
sinistro:
avatar
Sensei
Sensei
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 14/12/2009
Número de Mensagens : 4434
Sexo : Masculino
Idade : 29
Reputação : 65

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 01:17
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
Eu pensava: "se a Alemanha entrou em guerra contra a união soviética comunista, então eles tem que ser de direita".

Até que um dia eu aprendi na escola por meio de um professor de geografia que o nazismo não era nem de direita, nem de esquerda.

A explicação dele ajudou no meu entendimento para uma prova que seria feita no dia seguinte.

Tanto o nazismo quanto o socialismo marxista eram contra a economia liberal.
Mas ao mesmo tempo o nazismo não queria ser um socialismo revolucionário, o objetivo era tornar a Alemanha forte e a única potência que iria comandar o mundo. Eles queriam conquistar todo mundo, não existia revolução pelos pobres e etc.
Então no mesmo tempo em que os nazistas tinham um pensamento econômico alinhado com a esquerda, também não queriam ser a esquerda tradicional da época.
Eles queriam seguir um caminho diferente de ambos os lados, o que seria uma terceira via.


"Nenhuma assombração precisa ser invocada quando nada é mais cruel do que o espírito humano"
avatar
Lendário
Lendário
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 09/05/2010
Número de Mensagens : 16466
Sexo : Masculino
Idade : 25
Reputação : 327

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 03:08
@Shamanking escreveu:Eu pensava: "se a Alemanha entrou em guerra contra a união soviética comunista, então eles tem que ser de direita".

Até que um dia eu aprendi na escola por meio de um professor de geografia que o nazismo não era nem de direita, nem de esquerda.

A explicação dele ajudou no meu entendimento para uma prova que seria feita no dia seguinte.

Tanto o nazismo quanto o socialismo marxista eram contra a economia liberal.
Mas ao mesmo tempo o nazismo não queria ser um socialismo revolucionário, o objetivo era tornar a Alemanha forte e a única potência que iria comandar o mundo. Eles queriam conquistar todo mundo, não existia revolução pelos pobres e etc.
Então no mesmo tempo em que os nazistas tinham um pensamento econômico alinhado com a esquerda, também não queriam ser a esquerda tradicional da época.
Eles queriam seguir um caminho diferente de ambos os lados, o que seria uma terceira via.

E daí a fala extremamente precisa do @Garcia.

O que a galera costuma não entender muito bem, é que o Nazismo foi uma expressão regionalizada do Fascismo, que possuiu características comuns à esquerda e a direita, combatendo veementemente o Marxismo da epoca. Da mesma maneira, Lenin e seu sucessor Stalin (que eram comunistas e pretendiam fazer uma revolução em grande escala pra derrubar o sistema capitalista) mesmo sendo declaradamente de uma ideologia que é associada à esquerda, também tornaram-se autoritários e criaram suas próprias versões fascistas.

Fascismo tem como regra um governo autoritário; não necessariamente um governo ESTATAL, como muitos pensam. Não é atoa que outros modelos de sistemas sociais também foram ou possuem as características para serem fascistas, como impérios, monarquias e etc.

Mesmo num ambiente sem estado (ou com estado "mínimo", por exemplo) é completamente possível e natural que outro viés do Fascismo se instaure, porque o que dá abertura para que um regime autoritário se instaure é o poder desenfreado na mão de pessoas erradas.

O que chamamos de "Poder" é uma constante na ordem social: sempre haverá um grupo que possui maiores atribuições que outros - e isso não é uma exclusividade do sistema estatal. O problema acontece, porém, quando este grupo é composto por pessoas inescrupulosas que manipulam as outras pessoas dos diferentes grupos sociais para que possam angariar aliados e se fortalecer.

Então, meus queridos, o fascismo não se combate com "estado mínimo", pois o poder somente mudaria sua forma e pularia de um lugar para o outro.

Para combater uma crescente fascista, que é em primeira instância um regime - ou uma lógica de convivência social - autoritário, precisamos de civilidade e debate de ideias, fazendo críticas onde elas cabem e oposição quando for necessário, gastando o máximo possível de energia para mostrar às outras pessoas não envolvidas diretamente com o meio filosofico-politico, que nós precisamos questionar SEMPRE as decisões e direcionamentos tomados por qualquer lógica social estabelecida.

Só atraves dessa autocrítica e reflexão continuada que inclua ajudar as outras pessoas a desenvolver este mesmo senso de cidadania que se evita a ascensão de ideias totalitaristas.



Barugo no Asumita, Kami no Chikai Otoko

avatar
Mestre Senpai
Mestre Senpai
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 04/10/2017
Número de Mensagens : 3209
Sexo : Masculino
Idade : 27
Reputação : 141

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 08:59
@Garcia escreveu:Nazismo começou na extrema direita e terminou como uma 3ª via, bem diferente do que atualmente se propaga, essa polarização tola. Não é a toa que foi um movimento diferente de tudo o que já se viu na história.
Em minha opinião, não começou na extrema direita. Pelo contrário, o nazismo possui raízes iguais às demais formas de socialismo (fazendo jus ao nome do partido), porém com outros "meios". Ao invés de abolirem a posse dos meios de produção, os mesmos optaram por controlá-lo pelo Estado e, ao invés de focar apenas na divisão de classes dentro do seu país, consideravam uma "luta de nações (ricas x pobres)"/"luta de etnias", o que explica a razão pela qual eles escravizavam e matavam outros grupos e tomava-lhes seus meios de produção (além, é claro, dos que discordassem dos mesmos). Não vejo grandes motivos pelos quais o nazismo poderia ser classificado como de direita (ou extrema-direita) dentro da definição dos quadrantes políticos.

É igual o fato de ter gente que jura que o Lula e o Maduro são os caras mais capitalistas e de direita que existem, essa afirmação não faz sentido no âmbito dos quadrantes políticos. Muitas vezes as pessoas ficam focadas naquilo que chegou a acontecer, mas deixam de lado o embasamento teórico da ideologia, o que a pessoa pretendia, e etc. As intenções de longo prazo que o Lula tinha, de implementar o socialismo, não pode ser ignorada, e não podemos considerar apenas a existência de empresas no país para dizer que ele era de direita, por exemplo, pois tratava-se apenas dos "meios" que ele estava usando para chegar a seu objetivo.

Partindo desse ponto, eu diria que se tratava inicialmente de um país de direita, que foi levado à 3ª via pelo nazismo, mas cujo objetivo era a implementação de uma sociedade com meios de produção controlados pelo Estado e com ampla divisão das riquezas (geradas pelas demais etnias e nações) entre seus cidadãos. Basicamente, um socialismo racista e nacionalista (mas, apesar de ser socialismo, ainda teria alguns aspectos diferentes do marxismo e da esquerda de maneira geral, mesmo após os fins terem sido alcançados).


Brasil acima de tudo e Deus acima de todos .

Assinatura:

Prêmios:
avatar
Sensei
Sensei
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 22/02/2010
Número de Mensagens : 4048
Sexo : Masculino
Idade : 21
Reputação : 74

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 12:06
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
@Chapéu de Palha escreveu:O mais engraçado nisso tudo é que este tipo de discussão só existe na internet :diga:

Umberto Eco definiu perfeitamente isso:



E não adianta trazer o parecer de um sociólogo ou de um cientista político especialista no assunto, pois serão completamente ignorados e hostilizados pelos "intelectuais de internet".

É igual aquela discussão sobre a Terra ser plana ou o Sol girar em redor da Terra. Só existe na internet  :aliens:

A capacidade cognitiva desse pessoal é baixíssima, tanto que Olavo de Carvalho se aproveita disso para aliená-los.
Verdade. Yagi, Lipert e os outros aproveitam-se de charlatanismo para deturpar o ideário fascista dizendo está baboseira de ser """anti-conservador""" quando os estudiosos, a exemplo do que postei, mostram o contrário.  Os Nazis tiveram apoio da elite conservadora e seus teóricos. Devem ter aprendido essa sofisma com o Ponde.


Lipert, vc não leu meus últimos posts ou só os ignorou solenemente?


Uman, discordo de vc citando o Lenin, foi um revolucionário que tentou dialogar com as classes implantando o NEP depois do Comunismo de Terror na Guerra Civil. Stalin sim, pode tê-lo feito, criando um "Fascismo às avessas" o que justifica a teoria das ferraduras.




Prêmios:
avatar
Assistente de Equipe
Assistente de Equipe
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 24/12/2011
Número de Mensagens : 7503
Sexo : Masculino
Idade : 28
Reputação : 85

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 12:26
Nazismo tinha características de esquerda (população geral desarmada) assim como tinha de direita (forte patriotismo), porém não era nem uma nem outra.

E o grande diferencial, era que no Nazismo, perseguir, humilhar, matar judeus era algo correto a fazer. Eles viam judeus como seres inferiores, e tudo bem, para eles, assassinar judeus. Isso que é a identidade principal do Nazismo, ver determinado grupo de seres humanos como inferiores que devem ser mortos.

Bem diferente aqui do Brasil, por exemplo. Tem gente falando que o Bolsonaro quer aplicar o "Nazismo Homosexual", mas tá cheio de foto na internet dele abraçado com homosexual (amin khader, agustin sei lá o que, kassia sei la o que) e sorrindo com eles pra foto, algo que torna impossível algo do tipo, embora há pessoas que jurem pela mão e pelo pai que Bolsonaro irá criar leis para fuzilar homosexuais :lol:


Konoha Heroes já disponível para download!

Comece 2019 da melhor forma: jogando o novo RPG Konoha Heroes! Clique na imagem acima e faça o download!



avatar
Moderador
Moderador
Nível : 3
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 26/02/2018
Número de Mensagens : 1706
Sexo : Masculino
Idade : 19
Reputação : 90

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 12:36
@Aburame Hidan escreveu:Verdade. Yagi, Lipert e os outros aproveitam-se de charlatanismo para deturpar o ideário fascista dizendo está baboseira de ser """anti-conservador""" quando os estudiosos, a exemplo do que postei, mostram o contrário.  Os Nazis tiveram apoio da elite conservadora e seus teóricos. Devem ter aprendido essa sofisma com o Ponde.

Ué cara, vc trouxe uma pá de "estudiosos" e eles mesmos te refutavam, acho que o charlatão aqui não sou eu :irineu:


Yagai !!!



Níveis de poder 2019 - tabela atual:




Cards feitos com os personagens no tópico de classificação. - By: Iriw
avatar
Sensei
Sensei
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 22/02/2010
Número de Mensagens : 4048
Sexo : Masculino
Idade : 21
Reputação : 74

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 12:37
Leia os dois comentários que eu postei acima. E como eu disse, eles não estavam negando ser de direita, só disseram não se resumir a isso, e ser diferente das outras direitas, tornando-se uma aberracao.

E Richard J Evans é um estudiosos pouco credível, o que justificaria as aspas?

Bem diferente aqui do Brasil, por exemplo. Tem gente falando que o Bolsonaro quer aplicar o "Nazismo Homosexual", mas tá cheio de foto na internet dele abraçado com homosexual (amin khader, agustin sei lá o que, kassia sei la o que) e sorrindo com eles pra foto, algo que torna impossível algo do tipo, embora há pessoas que jurem pela mão e pelo pai que Bolsonaro irá criar leis para fuzilar homosexuais :lol:

Isso não tem absolutamente nada a ver com o tema central do tópico. Porém ele é homofóbico sim, e isso é meio óbvio.


Última edição por Aburame Hidan em Sab 05 Jan 2019, 12:50, editado 2 vez(es)




Prêmios:
avatar
Moderador
Moderador
Nível : 3
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 26/02/2018
Número de Mensagens : 1706
Sexo : Masculino
Idade : 19
Reputação : 90

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 12:45
Mas é justamente por nascer como uma oposição ao Marxismo ao mesmo tempo que não seguia qualquer base teórica conservadora ou liberal/libertária que fazem do nazismo ser o que é, fascismo idem.


Yagai !!!



Níveis de poder 2019 - tabela atual:




Cards feitos com os personagens no tópico de classificação. - By: Iriw
avatar
Mestre Senpai
Mestre Senpai
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 04/10/2017
Número de Mensagens : 3209
Sexo : Masculino
Idade : 27
Reputação : 141

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 13:10
Acho engraçado como os esquerdistas ficam tentando parecer que concordam com os que dizem que o nazismo não era nem de direita nem de esquerda, e depois de 0,1 segundos voltam a falar que o nazismo era de direita :horak: E sinceramente, @Aburame Hidan, não estou aqui pra ficar debatendo com textos copiados e colados de blogs. O que eu gostaria para que a discussão fosse mais proveitosa é que vocês nos dissessem quais são os critérios que classificam uma ideologia como de esquerda ou de direita segundo vocês (num ponto de vista aplicado). Se é para falar sobre grandes pensadores que falaram sobre os quadrantes políticos do nazismo, acho que deveríamos começar por Ludwig von Mises e não por blogs (ainda mais que citam só textos recentes, do "meio acadêmico" atual).


Brasil acima de tudo e Deus acima de todos .

Assinatura:

Prêmios:
avatar
Moderador Beta
Moderador Beta
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 02/03/2018
Número de Mensagens : 739
Sexo : Masculino
Idade : 17
Reputação : 40

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 13:12
@Lipert escreveu: Se é para falar sobre grandes pensadores que falaram sobre os quadrantes políticos do nazismo, acho que deveríamos começar por Ludwig von Mises e não por blogs (ainda mais que citam só textos recentes, do "meio acadêmico" atual).
Mas o Mises considera qualquer governo autoritário socialista.


Daquele dia em diante ... meu braço mudou ... e uma voz ecoou: "Poder. Me dê mais poder!" E se eu me tornar um demônio, assim seja. Eu suportarei o exílio. Qualquer coisa para protegê- la .
- Nero depois que seu Devil Trigger é ativado pela primeira vez.
DMC 5:


Louise Michel escreveu:Não se pode matar a Idéia a tiros de canhão, nem tão pouco acorrentá-la.

Prêmios:


"Sustentamos esse fórum" - Fanboyolas de kunoichi inúteis.
avatar
Senpai Popular
Senpai Popular
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 10/01/2017
Número de Mensagens : 1744
Sexo : Masculino
Idade : 100
Reputação : 62

Pontos :
95 / 10095 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 13:14
@Lipert escreveu:
@Garcia escreveu:Nazismo começou na extrema direita e terminou como uma 3ª via, bem diferente do que atualmente se propaga, essa polarização tola. Não é a toa que foi um movimento diferente de tudo o que  já se viu na história.
Em minha opinião, não começou na extrema direita. Pelo contrário, o nazismo possui raízes iguais às demais formas de socialismo (fazendo jus ao nome do partido), porém com outros "meios". Ao invés de abolirem a posse dos meios de produção, os mesmos optaram por controlá-lo pelo Estado e, ao invés de focar apenas na divisão de classes dentro do seu país, consideravam uma "luta de nações (ricas x pobres)"/"luta de etnias", o que explica a razão pela qual eles escravizavam e matavam outros grupos e tomava-lhes seus meios de produção (além, é claro, dos que discordassem dos mesmos). Não vejo grandes motivos pelos quais o nazismo poderia ser classificado como de direita (ou extrema-direita) dentro da definição dos quadrantes políticos.
.

Mais de meses nessa discussão e você vive falando as mesmas idiotices.

Tipo isso de dizer que Nazismo controlava os meios de produção; tudo mentira. Uns 95% dos empresários alemães adoravam o regime nazista e o obedeciam por pura e espontânea vontade; não eram forçados a isso.

Tal como era nas décadas anteriores, nos tempos da Monarquia Absolutista Prussiana de Hohenzollern. Aliás, alta burguesia alemã ojerizava o liberalismo econômico, se quer saber.

Hitler tinha altos tratos com empresários alemães muito antes de chegar ao poder, ainda quando estava lançando candidatura, como exemplifica esse vídeo aqui: https://www.youtube.com/watch?v=UtEtKED7RhA

O sistema sócio-econômico de países fascistas era o Corporativismo, no qual toda a classe de empresários é conscientizada (assim como o resto da população) a ser nacionalista e apoiar o Estado incondicionalmente.

E você também conta muitas mentiras sem fonte alguma, como dizer que o regime nazista definia salários e preços de produtos. E outras loucuras desvairadas, como dizer que o atual socialismo de mercado chinês é um sistema sócio-econômico idêntico ao dos países fascistas do século passado. Essa é uma das coisas mais débil-mentais que já escutei, nessa discussão (que também julgo idiota) sobre nazismo ser direita ou esquerda.

Qualquer coisas, sugiro que vá pra República Popular da China e diga publicamente que eles seguem um sistema sócio-econômico fascista. Bem capaz de você levar um tiro de fuzil na cabeça.



AD ASTRA - SCIPIO TO HANIBAL (アド・アストラ -スキピオとハンニバル-):


HISTORIE (ヒストリエ) -- HITOSHI IWAAKI:

avatar
Sensei
Sensei
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 22/02/2010
Número de Mensagens : 4048
Sexo : Masculino
Idade : 21
Reputação : 74

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 13:39
O blog citou excertos do livro de J Evans, um historiador britânico renomado. Não é de autoria do dono do blog, Libert.

E sim, tinha bases conservadoras, como Jung, Schmitt e outros citados no segundo texto que eu postei nesta página.


Última edição por Aburame Hidan em Sab 05 Jan 2019, 14:02, editado 2 vez(es)




Prêmios:
avatar
Senpai Popular
Senpai Popular
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 10/01/2017
Número de Mensagens : 1744
Sexo : Masculino
Idade : 100
Reputação : 62

Pontos :
95 / 10095 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 13:41
Reputação da mensagem: 100% (1 votos)
@Lipert escreveu:E sinceramente, @Aburame Hidan, não estou aqui pra ficar debatendo com textos copiados e colados de blogs. O que eu gostaria para que a discussão fosse mais proveitosa é que vocês nos dissessem (...)

Ah, é?

Que contraditório...

@Lipert escreveu:
https://mises.org/library/why-nazism-was-socialism-and-why-socialism-totalitarian

Todas as fontes praticamente dizem isso.



AD ASTRA - SCIPIO TO HANIBAL (アド・アストラ -スキピオとハンニバル-):


HISTORIE (ヒストリエ) -- HITOSHI IWAAKI:

avatar
Mestre Senpai
Mestre Senpai
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 04/10/2017
Número de Mensagens : 3209
Sexo : Masculino
Idade : 27
Reputação : 141

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 17:48
@SKILLINE escreveu:
@Lipert escreveu: Se é para falar sobre grandes pensadores que falaram sobre os quadrantes políticos do nazismo, acho que deveríamos começar por Ludwig von Mises e não por blogs (ainda mais que citam só textos recentes, do "meio acadêmico" atual).
Mas o Mises considera qualquer governo autoritário socialista.

De fato, pois Mises sim é de extrema-direita... Porém, o mesmo estudou com bastante profundidade o mito do "capitalismo" nazista, e escreveu livros sobre o assunto.

@Eumenes


Mais de meses nessa discussão e você vive falando as mesmas idiotices.

Tipo isso de dizer que Nazismo controlava os meios de produção; tudo mentira. Uns 95% dos empresários alemães adoravam o regime nazista e o obedeciam por pura e espontânea vontade; não eram forçados a isso.
Achei que até vocês da esquerda admitiriam que o nazismo controlava indiretamente os meios de produção. O que significa pra você um governo controlar o preço e origem das matérias primas, método de produção, armazenamento, venda (preço e cliente) e todo o resto? Não é controlar os meios de produção???

E é óbvio que os empresários alemães adoravam o regime, pois não havia risco (afinal, o país tomava a riqueza de outras nações e de outras etnias, e eles podiam usar trabalho escravo). Porém, o que acontecia com os que desobedecessem as ordens? Teriam suas propriedades tomadas e/ou seriam executados. Dizer que alguém concorda sob essas condições é o mesmo que dizer que o povo da Coreia do Norte "adora" ser massacrado por seu ditador.

E você também conta muitas mentiras sem fonte alguma, como dizer que o regime nazista definia salários e preços de produtos. E outras loucuras desvairadas, como dizer que o atual socialismo de mercado chinês é um sistema sócio-econômico idêntico ao dos países fascistas do século passado. Essa é uma das coisas mais débil-mentais que já escutei, nessa discussão (que também julgo idiota) sobre nazismo ser direita ou esquerda.

Qualquer coisas, sugiro que vá pra República Popular da China e diga publicamente que eles seguem um sistema sócio-econômico fascista. Bem capaz de você levar um tiro de fuzil na cabeça.
Eu citei uma fonte lá atrás, com documentos e livros do Mises.

Só um detalhe sobre a outra parte, eu nunca disse que eram idênticos, disse que eram semelhantes no tocante ao controle estatal indireto dos meios de produção. Você precisa parar com essa sua desonestidade intelectual, assim como essas ofensas de criança que foi contrariada e não sabe debater.

@Eumenes escreveu:
@Lipert escreveu:E sinceramente, @Aburame Hidan, não estou aqui pra ficar debatendo com textos copiados e colados de blogs. O que eu gostaria para que a discussão fosse mais proveitosa é que vocês nos dissessem (...)

Ah, é?

Que contraditório...

@Lipert escreveu:
https://mises.org/library/why-nazism-was-socialism-and-why-socialism-totalitarian

Todas as fontes praticamente dizem isso.
Você: Fala que não há fontes sobre algo.
Eu: Posto a fonte.
Você: Reclama que eu postei um link.

Aliás, é até engraçado que você falou logo acima DE NOVO que eu não havia postado fonte nenhuma sobre o assunto. Acho que você está precisando esfriar a cabeça, pois está postando coisas totalmente contraditórias (mais uma vez). :horak: Deixa de ódio e vamos manter a racionalidade. o/


@Aburame Hidan escreveu:O blog citou excertos do livro de J Evans, um historiador britânico renomado. Não é de autoria do dono do blog, Libert.

E sim, tinha bases conservadoras, como Jung, Schmitt e outros citados no segundo texto que eu postei nesta página.
Não vi citação desse autor nos spoilers (apenas de outros), e acho que ele se encaixa na definição de "textos recentes do meio acadêmico atual".









Enfim, vou repetir que só quero a explicação de qual critério classifica uma ideologia como de esquerda ou de direita pra vocês, pois dependendo de qual for, vamos ter que classificar até o governo Lula como de extrema-direita por questão de conveniência pra vocês poderem dizer que o nazismo é de direita.


Brasil acima de tudo e Deus acima de todos .

Assinatura:

Prêmios:
avatar
Sensei
Sensei
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 22/02/2010
Número de Mensagens : 4048
Sexo : Masculino
Idade : 21
Reputação : 74

Pontos :
100 / 100100 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 17:50
Lipert, na página três desse tópico tem referenciais a esse autor que eu disse, dele dizendo que o Nazismo é de direita. Vá lá e verá.




Prêmios:
avatar
Senpai Popular
Senpai Popular
Nível : 1
Medals : Nenhuma Medal, por enquanto!
Membro desde : 10/01/2017
Número de Mensagens : 1744
Sexo : Masculino
Idade : 100
Reputação : 62

Pontos :
95 / 10095 / 100


Ver perfil do usuário

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

em Sab 05 Jan 2019, 18:05
E é óbvio que os empresários alemães adoravam o regime, pois não havia risco (afinal, o país tomava a riqueza de outras nações e de outras etnias, e eles podiam usar trabalho escravo).

E qual o problema? Seu querido Império Britânico não fazia o mesmo?



AD ASTRA - SCIPIO TO HANIBAL (アド・アストラ -スキピオとハンニバル-):


HISTORIE (ヒストリエ) -- HITOSHI IWAAKI:

Conteúdo patrocinado

Re: Analisando a doença mental dos que dizem que "Nazismo é desquerda"

Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum